CONSUMO CONSCIENTE, É POSSÍVEL?


Bem-estar Organizacional


Nas organizações, nas famílias, nas escolas, somos frequentemente confrontados com apenas dois caminhos, obedecer ou fugir.


Como poderemos mudar esta realidade? É simples e gratuito, querem ver? Só teremos de eleger um novo mindset.


Investir numa origem compartilhada - Todas as famílias, todas as equipas, todas as organizações nascem optimistas. Por vezes essa motivação esvai-se tornando-se importante haver outros elementos de conexão.


O meio mais funcional que conheço é o de compartilhar ideais e valores vividos por todos os seus elementos. Isto quer se trate de uma empresa, escola, família. É aqui que a violência se funda ou apaga...


Escutar profunda e compassivamente - Para muitos esta é chamada de Escuta Mágica. Só esta poderá permitir a fala amorosa e compassiva. O objectivo deste tipo de rapport é fazer do outro um amigo, isto só será possível dando-lhe o alívio que ele necessita, cessando, deste modo, com o sofrimento de ambos.


Aliás, esta é – quanto a mim - uma das causas da ineficácia das escolas e das organizações na atualidade. A inexistência de uma escuta profunda. Por exemplo, no caso das escolas estes serão claramente os únicos elementos capazes de trazer a qualquer confronto a compreensão correta do sofrimento de professores, alunos e crianças. Esta é uma lógica que poderemos aplicar a todas as área onde exista desesperança.


Comunicar de forma não violenta - Acredito que num futuro próximo só os líderes que conheçam os princípios de uma escuta ativa, profunda e compassiva poderão estar integralmente ao serviço de uma comunidade. A isto deveremos , ainda, juntar, a comunicação não violenta. Esta é também conhecida por comunicação empática.


Distinguindo realidade de qualquer juízo de valor. Separando sentimentos e emoções de meras opiniões, valores de estratégias de ação, discernindo, por fim, pedidos de exigências. Isto é, sem classificação, sem domínio e, acima de tudo, sem desresponsabilização. Só assim trabalharemos a empatia. Esta tem na sua origem a ideia de sofrer com.


Concluindo, falta-nos uma cultura onde se expressem sentimentos sem se julgar criticamente o outro. E esta é uma questão que tem de ser cuidada, especialmente, desde os bancos da escola.


Consolidar a prática da atenção e do cuidar - A serenidade , a atenção , o foco só poderão vir se nos permitirmos existir com a necessária profundidade. Lembre-se , nada ocorre sem uma causa. No meio disto existem, ainda, mal-entendidos, percepções erradas,..., por tal motivo a atenção e o cuidar são essenciais em qualquer tipo de relacionamento. Isto independe de estarmos a falar em escolas, empresas, famílias,..., ou num campo de batalha.


Praticar o consumo conscientemente - Aprendi que todo o meu comportamento individual pode gerar um efeito no colectivo. E, por isso serei responsabilizado duplamente. Assim todas as formas de consumo podem contribuir para a violência, o ódio e o medo, isto individual e colectivamente. Daí a importância do consumo consciente.


Mas de que consumo falo eu? O consumo dos sentidos, da consciência, o consumo dos desejos e, finalmente, o consumo comestível. Então, tudo é consumo? Pois é! Conclusão , se não tivermos um posicionamento consciente então cada vez mais, assim como acontece com o alimento comestível, consumimos violência, medo, ódio, impunidade...


Cada um deverá tratar deste seu jardim interior, partindo da premissa mais estruturante que conheço a paz é feita de paz. Este deverá ser o meio onde construiremos a nossa existência. Para isso será necessário estar atento ao que nos alimenta de coerência e serenidade.

Featured Posts
Recent Posts
Archive
Search By Tags
  • Grey Facebook Icon
  • Grey Twitter Icon
  • Grey Instagram Icon
  • Grey Vimeo Icon
  • Grey LinkedIn Icon